segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Risoto de Cogumelos ou a Receita para conquistar


Preparação da receita
(ou como se preparar para a conquista)

Colocar numa  panela 1 litro de água e o caldo de legumes (1 cubo) e deixar ferver.

Colocar todas as nossas virtudes e desejos, medos e ansiedades, sonhos e aspirações num “caldo” e reservá-los, deixando-os em lume brando.

Laminar os cogumelos frescos (150 a 200 g) e alourar com 50 g (uma colher de sopa) de manteiga.

Preparar-nos para enfrentar “a mulher” como se fosse numa batalha. Não esquecer que o tempo de “os homens querem-se porcos, feios e maus” já era. Por isso, é importante uma boa aparência (bom corte de cabelo e um perfume marcante) e modos de cavalheiro (abrir a porta e deixá-la passar primeiro é o básico).

Fazer um refogado com 50 g de manteiga, uma cebola e dois dentes de alho.

Convidar para fazer algo: um copo de final da tarde, um jantar, um café numa esplanada agradável. E deixar no ar a ideia de que é importante para si (o acontecimento, não ela, senão pensa que nos tem completamente nas mãos).

Juntar primeiro o arroz (200 g) e alourar (2 minutos), depois um copo de vinho branco e deixar evaporar.

No dia e local marcado, tornar-se marcante (modos gentis mas másculos, conversa agradável mas não fútil) e deixá-la espantada com o espécime que tem à sua frente. Depois do copo de vinho, iniciar uma boa conversa.

Quando o vinho evaporar, cobrir de novo o arroz com caldo de legumes (que está a ferver noutra panela).

Conversar e sobretudo deixá-la falar de modo a que se sinta interessante. Mas quando ela domina a conversa, deitar um pouco do seu “caldo”. Comece pelas coisas que os outros consideram boas em si.

Sempre que o caldo estiver quase todo evaporado,  juntar uma nova quantidade para cobrir, mexendo sempre, e repetir até acabar o caldo.

Doseie a conversa para que nenhum dos dois fique completamente exposto e embaraçado. Sempre que um tenha o domínio do assunto por muito tempo, tente juntar um pouco mais de “caldo”. Cuidado para não revelar nada embaraçoso…

Quando estiver cozido, mas ainda com caldo, juntar os cogumelos, adicionar 1 colher de sopa de parmesão ralado e temperar ao gosto com sal e pimenta.

No final do acontecimento, quando a conversa estiver a declinar, junte a sua “marca” e tempere com o “foi tão agradável que é importante repetir”.

Servir de imediato.

9 comentários:

Pólo Norte disse...

Gosto!

Complexo disse...

Muito obrigado D. Pólo.

Espero recebê-la em breve no meu divã.

Maria Fonseca disse...

Não resulta. (mas que sei eu destas coisas)

c. disse...

Assim só pela receita soa delicioso!
(mas a verdade é que por vezes depois não sabe a nada...)

Complexo disse...

Maria Fonseca e c.

Acho que não frequentam os "restaurantes" certos.

Maria Fonseca disse...

Caro Complexo,

Vamos lá ver se me faço entender. Risoto à parte, que eu sou rapariga do povo e prefiro um arroz malandrinho de grelos, o problema da sua receita é que é demasiado simplista. Ora, apelidando-se você de Complexo, a referida cria um sentimento de insatisfação em quem lê, uma vez que se vem à espera de um nível elaboração bastante superior. Mas pronto. Admito. Há potencial. Vamos ver se o canaliza da melhor forma.

(obrigada pelo elogio às fotos)

Complexo disse...

Cara Maria Fonseca,

As mulheres são tão complexas (ainda mais do que eu) que gostam de coisas simples e que as surpreendam.

É esse o segredo.

Maria Fonseca disse...

Então nesse caso, eu demiti-me desse papel. O simples aborrece-me.

Beu, a Ruiva. disse...

Pois parece-me bem. Um risoto de cogumelos e uma excelente companhia será sempr uma agradável surpresa!

p.s. este blog já parece um livro que li há uns anos atrás da Laura Esquivel : "Como água para chocolate". A escritora colocava receitas durante o desenrolar da história.